sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O QUE É COLÁGENO HIDROLISADO?


Estou tomando colágeno hidrolisado, é ótimo e ainda deixa a barriga com a sesação de cheia, como se tivesse comido alguma coisa. Comprei essa caixa com 30 sachês. Dá pra 1 mês. Muito legal! Segue algumas informações sobre o colágeno hidrolisado.

Gelamin é um produto à base de gelatina (colágeno hidrolisado), adicionado do aminoácido L-cistina, indispensável na síntese de colágeno no organismo. Contém ainda vitamina A, fator essencial para a regeneração celular e manutenção da saúde da pele, e vitamina C, necessária para a formação do colágeno.
O colágeno - também conhecido como gelatina - é uma das maiores moléculas protéicas do organismo humano. Encontra-se presente na estrutura dos tecidos conjuntivos, cartilaginosos e fibrosos, como pele, ossos, tendões, dentes, vasos sanguíneos, músculos, unhas, cabelos, articulações (líquido sinovial), entre outros, representando mais de 30% das proteínas presentes no organismo. Sua composição de aminoácidos é bastante específica, sendo formada principalmente por glicina e prolina. Para a síntese de colágeno é necessário que estes aminoácidos sejam agrupados e hidroxilados. Para que esta reação ocorra é fundamental a presença do ácido ascórbico (Vitamina C) para a ativação da enzima que irá catalisar este processo.
Apesar da glicina e prolina não serem considerados aminoácidos indispensáveis - isto é, nosso organismo é capaz de sintetizá-los - a quantidade disponível destes aminoácidos necessária para a formação do colágeno é consideravelmente elevada, assim como a energia para a ressíntese dos mesmos. Com isso, o processo de síntese de colágeno torna-se metabolicamente bastante dispendioso para o organismo.
Durante o crescimento e desenvolvimento as fibras de colágeno em todos os tecidos sofrem síntese, degradação e ressíntese repetidas - processos conhecidos como turnover. Na maioria dos tecidos de adultos normais, estas fibras sofrem muito pouco turnover. Em algumas circunstâncias essa taxa de turnover também encontra-se modificada. Na inanição uma grande fração do colágeno da pele e de outros tecidos conjuntivos sofre degradação, fornecendo aminoácidos para a síntese de energia. Além disso, ocorrem grandes perdas de colágeno na maioria dos tecidos conjuntivos durante a imobilização ou períodos prolongados de estresse de baixa gravitação. Na artrite reumatóide ocorre rápida degradação de colágeno na cartilagem articular e o excesso de glicocorticóides diminui o teor de colágeno da maioria dos tecidos conjuntivos, incluindo o osso, ao reduzir a taxa de síntese do mesmo. A diminuição do colágeno enfraquece os tecidos.
Quando um tecido sofre lesão, a inflamação em geral é acompanhada de depósito aumentado de colágeno no local, sob a forma de tecido fibrótico e cicatrizes. O depósito de fibrilas de colágeno durante o processo de reparação é uma importante característica das alterações patológicas observadas na cirrose hepática, na fibrose pulmonar e na aterosclerose, bem como na cicatrização da pele e de ligamentos após cirurgia ou traumatismo. Além disso, uma série de problemas decorrentes do próprio processo de envelhecimento resulta da ausência e da diminuição da produção de colágeno pelo organismo, já que o mesmo despende uma quantidade bem superior a sua produção a partir dos 25 a 30 anos de idade.
Por que eu deveria usar colágeno?
É indicado para pessoas fisicamente ativas que desejam aumentar o consumo de proteínas e promover o aumento da produção de colágeno no corpo, a fim de fortalecer unhas, cabelos e enrijecer o corpo. Também indicado para pessoas em processos de cicatrização e recuperação de lesões, assim como em processo de emagrecimento.
Que pesquisas foram feitas sobre o colágeno?
Alguns estudos verificaram que uma hora após a ingestão de cerca de 10g de gelatina (colágeno hidrolisado) ocorre um aumento de aproximadamente 500% na concentração plasmática de hidroxilisina, 200% de glicina e 150% de prolina, elementos fundamentais para a síntese de colágeno. Esta teoria atualmente encontra-se em estudo, sendo bastante investigada e discutida na literatura científica.
Novos estudos associam o consumo do produto a reconstituição ou regeneração das articulações. Que a gelatina em pó é uma fonte rica em colágeno não chega a ser uma novidade. Mas agora pesquisadores da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estão encontrando vários motivos para torná-la um importante nutriente na dieta.
Esses estudos demonstram que o uso diário da gelatina contribui para fortalecer unhas, cabelos e melhorar a hidratação da pele. Além disso, a substância extraída do colágeno bovino e rica em proteínas também funcionaria na manutenção dos ossos e reconstituição ou regeneração das articulações.
O organismo humano necessita de 10 dos aminoácidos essenciais, que são consumidos através dos alimentos. A gelatina contém nove desses aminoácidos. O produto também possui fragmentos de proteínas que facilitam sua absorção no organismo. “Os estudos têm demonstrado que a gelatina pode atuar na regeneração das articulações desgastadas pelo processo de artrose”, explica Jaime Farfan, professor titular da Área de Nutrição e Processamento da Unicamp. “Vamos iniciar um estudo com a Faculdade de Medicina para testar a eficácia em pacientes brasileiros”, diz.
Segundo Farfan, a gelatina não tem a mesma indicação para as crianças. “Não serve para o crescimento”, afirma. “Mas a gelatina pode ser utilizada a partir de uma determinada idade como forma de manutenção da cartilagem e dos ossos”, completa o especialista.
Que dose de colágeno deverei tomar ?
Enquanto não houver nenhum estudo definitivo sobre qual a melhor dosagem de gelatina (colágeno hidrolisado), a dosagem tipicamente indicada é algo entre 10g de gelatina por dia, especialmente tomado no intervalo das refeições, é o bastante para o fornecimento ideal dos aminoácidos importantes para seus efeitos regenerativos.
Quais os efeitos colaterais causados pelo colágeno ?
Igualmente como qualquer suplemento, bom senso deverá ser exercido quando pensar em tomar gelatina. Nos estudos das pesquisas feitas nenhum efeito adverso foi notado proveniente do uso de gelatina. Até este momento nenhuma toxicidade ou efeito negativo ocorreu quando a gelatina é usada como suplemento nutricional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário